Não entendeu?

sábado, 5 de novembro de 2011

Um poeta qualquer...

Hoje e amanhã, quase sempre
sua paz, conquista e rotina
sua realidade tão eminente
as suas coisas, a sua vida...

Noite fria, dia tão quente
nesses tempos quem diria
segue tranquilo, tão contente
não se lembra daquele dia...

Ser feliz é ser ninguém
pois assim, tanto faz toda a alegria
nessa vida ser alguém
é a maior, se não a pior, covardia...

Poeta inconsequente
que do irreal fez sua moradia
e um concreto som retinente
no fim de seu caminho se ouvia...

De uma caneta e de um papel...
e de nada mais ele precisa
e toda noite a encarar estrelas no céu
ele não dorme, não vive, não respira...


Guilherme Marcus Moreira

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Noite Insana de um Jovem

Por que nessa noite tão fria você vem me atormentar?
Infelizmente não vem sozinho, acompanhado de um fantasma que só quer me fazer lembrar.
Saia daqui seu maldito, vá embora Seu Fantasma, não tem outro pra perturbar? Leva essas lembranças, de um passado tão rude, quem é você pra me julgar?
Por que não desaparece? Some da minha cabeça, como faço pra te expulsar?
Você só vem no escuro, quando estou sozinho, o que você quer, na verdade, é brilhar!

Que cara é essa meu menino? Não fique triste ou sozinho, até parece que não sabe dançar.
Levante a cabeça garotinho, olha pra frente é o que eu digo, só precisa começar a andar.
É desse escuro que eu gosto, não precisa ver pra ser belo, e o que ilumina é esse luar.
Assim está confortável, despreparado como gosto, agora eu vou te amedrontar!
Não adianta se esconder, fechar os olhos ou se cobrir, não vale a pena tentar.
Não adianta se distrair, na sua cabeça eu estou, não vai conseguir disfarçar!

Mesmo na noite mais escura, que o fantasma tortura tanto, ele precisa te abandonar.
Pois sua vida continua, ao contrário dessa história, no outro dia você precisa acordar...

Sr. Lupin

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

O Lobo

O lobo solitário espreitava sob a vegetação
sua suculenta presa, esperando um momento de distração.
Quando esse momento chega, ele ataca o animal
e devora sua carne até manchar todo seu pelo de sangue

Pobre lobo, sendo tratado como violento por se alimentar
temem-o e julgam-o apenas por querer sobreviver
mas esquecem que ele é apenas um lobo solitário
querendo viver como escolheu, sendo o melhor

Pobre lobo solitário;
Como você está?
Será que já ouviu isso antes?
Sinceramente, nem consegue lembrar.

Pobre lobo solitário, esse sangue é seu?
Você parece fraco, não pode ir
não sem dizer o que pensa, o que sente
Pobre lobo solitário...

Sr. Lupin

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Projeto Loucura

Esse sentimento que acaba com o ser,
lhe traz rancor em vez de amor...
esse sentimento que tanto faz temer,
faz chorar, gritar, sentir dor...

Esse sentimento amaldiçoado
e de uma beleza que ninguém conhece...
faz da vida de qualquer pessoa, beldade
mas abrange qualquer um que se entregue...

e não há como viver assim,
é preciso acabar com isso tudo
quero poder continuar sem ti...
saber das coisas desse mundo...

Estou preso a ele...
mais até do que a você...
preciso descobrir o porquê das coisas
preciso, acima de ti, aprender...

Conhecimento não é crime
mesmo que uma prática ilegal
nem tudo ilícito é ruim
pensar que sim é ser banal

Querer amar alguém sem antes saber
é precipitar-se nas leis do mundo
tentar sobre o que falo entender
te fará mais um louco frente a tudo...

Guilherme Marcus Moreira

domingo, 16 de outubro de 2011

Sozinho

Peço desculpa por minha ausência, passei por um período de pouca inspiração. Tentarei voltar a fazer posts mais frequentes para vocês! xD


Andando pela cidade de asfalto molhado
o cheiro da chuva pairava pelo ambiente
e mesmo o caminho não ficando iluminado
Não precisava olhar pra frente para andar perfeitamente

Sua mente não estava nem perto da estrada.
O silêncio ajudava a vagar pela memória;
Desde os belos dias que lembrava sem data,
até aquele dia que marcava a sua escória

Um barulho o distraiu daquela lembrança,
será um animal ou pessoa n'outro canto?
ao ficar alerta, sua fisionomia sofre mudança,
mas percebe que é apenas um senhor coberto em seu manto

Adora ficar assim curtindo seu pensamento,
para ele não há melhor momento.
Um tempo sem lutar.
Um tempo para relaxar.

Sr. Lupin

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Flamel, esse antigo alquimista...

Vi num antigo livro algo diferente...
através de imagens demais cativantes
uma ideia que moldava minha mente,
me fiz ali estudante, leitor, errante...

Fiz do errado o certo em minha vida
e do certo um erro fatal,
dominei a mente até então impulsiva
e fui vaiado por parecer banal.

Ri de quem não sabia da verdade,
gritei ao mundo as leis do universo,
reparei mais nas pessoas, suas beldades
e fiz do surreal, enfim algo concreto.

Fui à guerra armado só de conhecimento,
travei batalhas com grandes sábios...
venci lutas, presenciei históricos momentos,
vi ideias mortas por todos os lados...

Voltei arrependido, mas sabia o que fazer:
livro escondido, visando o objetivo final...
dias a fio, a grande obra tentando entender,
como fazer da rocha algo filosofal?

Li, aprendi e segui o passo-a-passo
da 'Tábua de Esmeralda' antiga e rara...
e no fim entendi, mesmo que cansado,
o que o 'Rei Trismegisto' ali ocultava...

Ela e eu ainda vivemos nesse mundo
embora a massa não possa compreender:
todo alquimista é bruxo, sujo e imundo...
são os errantes que me fizeram crescer...

Sempre procurei respostas ao mar
mas hoje sei que elas estão no céu
e como lenda ainda temo ensinar...
O meu nome? Nicolas Flamel...



Guilherme Marcus Moreira

domingo, 4 de setembro de 2011

É engraçado, mas faz pensar...



Ela anda na rua, eu prefiro a calçada.
Ela gosta de morango e eu de chocolate.
Ela fala muita gíria, eu tento ser polido.
Ela curte de tudo um pouco, eu rock.
Ela sente muito calor, eu sinto muito frio.
Ela reclama que os amigos não aparecem...
Meus amigos reclamam que eu não apareço...

Ela queria logo se formar, eu queria não precisar.
Ela reclama dos pais, os meus reclamam de mim.
Ela sabe cozinhar, eu me viro bem com o miojo.
Ela é linda, eu dou pro gasto.
Ela às 19 horas janta,  eu faço um "lanche da tarde".
Ela tem estilo próprio e muita preguiça de escrever... 
Eu não sou lá essas coisas, mas não vivo sem...

Eu quando chateio logo me desculpo, ela, toda orgulhosa, espera eu decidir ficar junto, mesmo querendo também.

Eu a disse uma vez:

"Pra cada pessoa pra quem és pouco, existe uma pra quem és o mundo..."

"Os opostos se distraem... Os dispostos se atraem..."
Talvez sejamos os dois. Talvez isso seja amor... 

Guilherme Marcus Moreira

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

...


"(...)   

Há um tal prazer nos bosques inexplorados;
Há uma tal beleza na solitária praia;
Há uma sociedade que ninguém invade,
Perto do mar profundo e da música do seu bramir:
Não que ame menos o homem, mas amo mais a Natureza..."

                                                                               - Lord Byron



terça-feira, 16 de agosto de 2011

Dualismo

Não és bom, nem és mau;
És triste e humano...
Vives ansiando, em maldições e preces
Como se, a arder, no coração tivesses.
O tumulto e o clamor de um largo oceano.

Pobre, no bem como no mal, padeces;
E, rolando num vórtice vesano,
Oscilas entre a crença e o desengano,
Entre esperanças e desinteresses.

Capaz de horrores e de ações sublimes,
Não ficas das virtudes satisfeito,
Nem te arrependes, infeliz, dos crimes:

E, no perpétuo ideal que te devora,
Residem juntamente no teu peito
Um demônio que ruge e um deus que chora."

[Dualismo - Olavo Bilac]

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Portas Abertas

Aprendi que nem tudo sempre tem fim,
e que nem sempre as pessoas fazem escolhas certas
nada que estrague um amor faz sorrir...
e que a vida é um corredor com várias portas abertas...

A dificuldade está em escolher uma porta,
uma que te faça entender como a vida é...
por erro, as vezes, escolhemos uma torta
que nos faz perder toda nossa fé...

Quem se importa com tantas coisas supérfluas?
algumas pessoas nem sabem o que é vida...
ao que chamamos amor, há sempre uma porta extra
na qual econtramos sempre uma saída...

Algumas vezes o erro é fatal,
outras vezes temos sorte...
Pois quando o tal amor é real,
o ser humano se torna forte...

Pode ser que isso resulte em perda,
mas pode ser que também resulte em ganho...
E por mais estranho que pareça...
Não me canso de dizer:  "Eu Te Amo..."


Guilherme Marcus Moreira

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Por te amar...

Eu continuo a correr
posso as vezes me cansar
mas continuo a correr,
continuo a procurar...

E eu continuo a cantar
posso talvez fraquejar
mas continuo a cantar
pra você...

E insisto em te encontrar
posso até me perder
mas preciso de você
pra não sofrer...

E continuo a escrever
posso até me arrepender
mas continuo a rimar...

... por te amar...


Guilherme Marcus Moreira

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O medo...

...

Quanto tempo perdi por medo...
Quantas pessoas perdi por medo...
Quantas coisas perdi por medo...

...

Quantos medos vieram a se realizar…
… por medo.

Se for assim…
Quero ter medo da Felicidade...



por: Letícia Moreira

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Prisão

Acorda em uma cela,
a sombra das grades em seus olhos,
a tristeza do cômodo
alucina toda sua mente

Houve um tempo de grande lamúria,
hoje já está acostumado...
Há passos do lado de fora!

Isso nunca havia acontecido,
será que não está só?
Alguém aparece d'outro lado da grade
e o livra dessa prisão

Agora no mundo de fora,
a luz quase o cega!
A partir dali se prenderá à vida.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Breve análise sobre a vida

Nem sempre vejo as coisas como são,
muitas vezes até vejo o oposto do que deveria ser refletido à meus olhos.
Não creio que seja um problema de daltonismo,
nem creio que esteja precisando de lentes de grau,
muito menos que minha visão esteja sofrendo de perda gradual...

Muitas vezes me engano ao pensar que a vida é fácil como se vê nas telas da TV...
e muitas outras me surpreendo ao perceber que a vida não é tão difícil como se crê.
... quando criança, sonhava em ser músico, skatista.
já hoje sonho em ser filósofo, alquimista...

Já pensei o oposto,
ser advogado, bandido e até eletricista...

Mas hoje sonho diferente, vejo a importância em ser poeta, crítico e cientista...

Posso me perder em palavras, ou posso me esclarecer em palavras.
Posso ficar em casa ou correr pelas estradas.
Posso sair e ver o mundo tal como é, ou posso me trancar e apostar na fé.
Posso fazer pacto com entidades ou posso não acreditar em tal babaquisse.
Posso matar a saudade, ou posso sofrer calado com minha esquisitice.

Mas o mais importante, é crescer também por dentro com o passar dos anos...
e ter a certeza de que pra todo o sempre...  serei nada mais do que um simples Ser Humano...

Guilherme Marcus Moreira

sexta-feira, 17 de junho de 2011

O Sonho

O silêncio da noite ia 'maquiavelando' na escuridão
as árvores eram iluminadas pela lua refletida no mar
projetavam sombras no gramado, no chão...
E riam triste d'um homem que não sabia mais amar...

O céu escuro, pingado por algumas estrelas
As ninfas sobrevoavam por cima das nuvens
derramavam lágrimas pra q'eu pudesse percebê-las
e tão lentas, tão belas... elas fluem...

A meia lua e seu sorriso, atenta ao mundo
e o vento que soprava gélido em meu rosto
minha mente aberta, ali pensava tudo,
unificando tais pensamentos a meu corpo...

Ao abrir os olhos, vejo não ser somente sonho
e lá fora, havia uma ninfa a voar
percebi em sua face, tristes olhos
procurando por mim, embora eu não estivesse lá...




Guilherme Marcus Moreira

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Mundo/Destruição

Mundo...Destruição...
Vidas perdidas, ou mortes ganhas?
A timidez do belo.
O egoísmo do feio.

Mundo. Destruição.
Caos em um mundo vergonhoso.
Harmonia em um mundo pacífico.
Um grande contraste paradoxal.

Mundo, destruição.
A vida e a morte
em um único contexto.

Mundo destruição.
é tudo a mesma coisa,
bem e mal, lado a lado.


                                              Sr. Lupin

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Rabiscos...

Em meio a escuridão procuro uma saída.
O que me faz querer viver além da vida?
Conheço o medo da morte, algo me tortura;
viver uma vida inteira... não chega de amargura ?


O que faz o menino querer ser homem,
faz o homem querer ser rei,
e o que faz o rei querer ser deus,
faz o tal deus desaparecer...


O que o mundo nos dá em tão pouco tempo de vida?
O que os falsos anjos dizem, disfarça a dor da ferida.
Mas a realidade anda oculta numa estrada escura,
enquanto alguns, em sinais, transbordam sua fúria

de uma vida de amargura...


Guilherme Marcus Moreira

quinta-feira, 2 de junho de 2011

"O Eremita Moderno"

Fugindo da monotonia, da vida como ela é
revelando antagonia em sentimentos como a fé...
Cansado de estar e de se importar com o "ter"
pensando sem falar que o necessário é o "ser"

Prolixidade demasiado desnecessária,
realizando tudo como se um ser eterno.
Cantando ao mundo idéias por sua 'Ária'
e se intitulando um eremita de terno..

Foi caminhar, se esvair do mundo tal
sem declarar, fez-se um nada ao natural
endeusificou-se por breve instante
até notar o nada ao seu redor,
e fazendo de si tal qual um ser pensante...
decidiu então que seria ser melhor...

(...)

Desistiu de viver como animal,
e aceitar do mundo o lado paterno
e em uma noite ao som de um luau
revelou-se sonhador "O Eremita Moderno"...



Guilherme Marcus Moreira

domingo, 22 de maio de 2011

"à primeira... e última vista..."

Foi em uma noite fria,
na fila do cinema...
era clima de alegria,
parecia não haver problema...

Mas a vida tem seu mistério...
tal qual o destino leva a sério,
torturando os corações
e turbinando as emoções...

e não há nada como aquilo,
não tem como descrever
o olhar de uma menina
e o jeito, seu lindo jeito de ser...

Foi em uma noite fria
que nossas vidas se esbarraram...
e como sendo algo único,
os olhares se encontraram...

Foi amor à primeira vista...
melhor... foi amor à única vista...
à primeira... e última vista...

Nunca mais se encontrarão nossos destinos,
nem nunca nos veremos novamente,
mas o brilho daquele olhar
ficará comigo... guardado fundo em minha mente...

(...)

E assim termina a história
de um amor puramente acidental,
que começa com o acaso de um encontro
e que tem seu feliz começo em seu triste final...

(...) a vida continua...


Guilherme Marcus Moreira

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Uma Noite Mágica em Um Lugar Qualquer...

Céu azul escuro, algumas nuvens abafando o brilho da maioria das estrelas...

(Frio...)

Aquela sensação de tudo e ao mesmo tempo de nada...
O mundo girando, sensação de estar caindo...
Medo, coragem, saudade...

Surrealismo existencial, uma utopia de jovens sonhadores... nostálgicos...
Buscando por algo que a muito já se foi, tentando reviver aquele sentimento de amizade a muito esquecido...
Fazendo fluir de novo a felicidade em um coração partido...
Criando novos padrões de mundo...
novas possibilidades...


(...)


... e ao fechar os olhos, vê-se um mundo de fantasia, um mundo existente apenas na mente...
um mundo melhor, um mundo onde a magia é possível...
onde as noites são mágicas e as amizades verdadeiras...
Um mundo onde amores platônicos são reais...
e o impossível, enfim possível...
onde os corações não doem e as preocupações da vida se extinguem...

(...)

... vê-se um mundo diferente, onde as cores são mais vivas, e o frio da noite acomoda as almas nos corpos...
onde a presença da verdadeira amizade conforta e concerta os corações destruídos pelo tal amor...
e aquela sensação de nostalgia... aquele medo de dormir, e, ao acordar, tudo ter sido apenas mais um sonho bom...


...


Um mundo tão frágil que num mero abrir dos olhos deixa de existir...

(...) e em seu lugar vê-se os problemas da vida, a poluição, a dor... o sofrimento, as preocupações retornam à mente, deixando-a conturbada, fazendo a felicidade dos minutos anteriores, simplesmente deixar de existir...
Um mundo em que o bom da vida, é sonhar com uma outra realidade...

Nada mais que uma utopia...   uma linda e mágica utopia...

...   de Uma Noite Mágica em Um Lugar Qualquer...


Guilherme Marcus Moreira

sábado, 23 de abril de 2011

Viagem de número três...

Meio atrasado dessa vez, 5:30 da madrugada, 5:32 pra ser exato...
As últimas estrelas brilham no céu... é triste saber que logo elas sucumbiram à toda a luz que emana do Sol...

(...) Copo de café nas mãos, uma blusa para enganar o frio e uma calça ralada nos joelhos, um tênis surrado e os olhos fixos nos céus... papel e caneta a postos...  é, tudo pronto para a viagem...

...

... o silêncio... do que se trata afinal?
em meu mais rápido raciocínio afirmo ser a ausência total de ondas sonoras...
mas pensando melhor...   vai muito além disso...

... é como me disse um amigo em uma dessas noites passadas...

(...) porque nós nunca paramos para pensar nisso, nós nunca nos damos conta de como é o silêncio, o que é o silêncio...  (...)

"o que é o nada?"  (...)

... ao que respondi,
"O nada é apenas uma palavra à espera de tradução..."

... Alguém aí sabe me dizer o que é o nada?
Você leitor, pode me responder?

...   "o que é o nada?"

 "o que é a ausência de tudo?"

...

...  seria um exemplo disso as estrelas?  ...

... elas ficam lá em cima, brilhando, até que surge uma menor e menos brilhante, porém muito mais próxima, e anula quase que por completo a presença das outras...
Fazendo com que pareçam um "completo nada"

... é, eu sei, viajem errada...


(...) esse mesmo amigo disse algo que prendeu minha atenção...

(...) já reparou nas coisas ao seu redor?
este banco em que está sentado, por exemplo...
imagine quantas pedras existem nele, quantos outros elementos e substâncias compõe sua superfície, e até mesmo seu interior...

... ao que minha mente vai mais longe...  pensando...

(...) quantas partículas, subpartículas, quarks, bósons...
quantas pessoas já passaram por esse mesmo lugar, quantas histórias as pedrinhas deste banco guardam...

... histórias de amor, traição, saudades, ódio, solidão e felicidade...
quantos grupos de amigos já dividiram, aqui, uma garrafa de vinho, um pacote de doritos...
quantos assuntos surgiram e já morreram (quantos sentimentos...), nesse mesmo banco em que agora estou... do qual agora, faço parte da história...

(...) viagem errada?
... não, creio que não...

mesmo assim, termino o café... uma última virada do copo...
um último gole...
para calibrar os neurônios...

...

acalmá-los...

(...)

O Sol se levanta por detrás das montanhas...
imponente...
mostrando a meus olhos ( e ao resto do planeta...) seus raios...
raios que já iluminaram toda a história...

história que só ele conhece,

                                                         ... do começo...
                                                                                              ao fim... (...)


(...)

domingo, 17 de abril de 2011

Um dia qualquer...

Era um dia qualquer
mas nada era como hoje é
nem sabia eu viver
nem queria eu saber...

Era uma manhã qualquer
mas nunca eu tive fé,
nem sabia eu escrever
nem queria eu saber...

Era uma tarde sombria
escura como não devia ser
como nunca deveria...
como pôde algo assim morrer?

Era uma noite fria, 
no dia em que o amor morreu,
e eu nem sabia... e eu nem sabia...

                                           
                                           
                                        

                                             Guilherme Marcus Moreira

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Perdão

Não conseguimos apagar o passado, mas podemos aceitá-lo como experiência de vida.
Vivamos o dia de hoje livre das mágoas anteriores.
O perdão não é sentimento, mas um compromisso. E a opção de se mostrar misericórdia é não jogar a ofensa no rosto do outro.
Perdão é uma expressão de amor.
E você está preparado para perdoar?
Pois lembre-se: hoje você perdoa, amanhã poderá não ser perdoado.
Pois somos seres imperfeitos, egoistas e na maioria das vezes nos achamos donos da verdade, pense nisso e viva, mas de olhos bem abertos.
beijos
Tia Luh ( mãe do Sr. Lupin )

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Dia no parque

O homem e seu cão brincavam de disco
enquanto o homem olhava a bela paisagem
seu cão o olhava muito ansioso
(o disco é jogado)

Ele pensa em sua vida,
seus amigos e sua casa
e também na sua bela amada
(outro disco é jogado)

Em sua amada ele gosta de pensar
que para seus olhos é a mais perfeita
e os bons momentos em que estivera junto a ela
o homem adora relembrar

Ele sente falta do disco babujado
e procura seu fiel cão a correr.
O cão veio, animado, com um presente
aquela amada que estava em sua mente

texto dedicado à alguns de meus vários amigos, obrigado a todos

segunda-feira, 28 de março de 2011

Realidade, apenas um sonho...

(...) quando fecho os olhos vejo a luz,
mas ao reabri-los, as trevas me envolvem em seu manto escuro...
Minha alma anda poraí, com algum mercador do submundo.
Agora, apenas o corpo me é tão útil...
Me entreguei às tentações da carne,
de barba mal feita, abuso das coisas ilícitas da vida...
Acabei por corromper todo um legado de família,
abandonei as crenças religiosas e me deixei levar
pela razão e por esse sentimento desconhecido,
que me revela toda uma vida reclusa, até então limitada à meros sonhos...

O mundo dos sonhos, revela às pessoas a verdade aterradora,
as assusta e leva embora suas noites de sono.
Ao acordarem, à suas vidas retornam todas as palavras falsas,
ditas por falsos amigos...

"Os sonhos são reais, a realidade é apenas um sonho..."


Guilherme Marcus Moreira

quarta-feira, 23 de março de 2011

Mais uma vez...

Aquele desejo sórdido,
que, de longe, se tornou imundo...
passa de algo eufórico
para algo inútil...

Eu que vivia sóbrio,
hoje ando sujo...
o mal súbito do mundo...

O fim é notório,
a cada dia mais perto...
me dói saber que no fundo
eu sempre estive certo...

Sem vontade de viver,
ou de gritar outra vez...
quando a verdade agente vê...
e deseja ter...   mais uma vez...

Guilherme Marcus Moreira

terça-feira, 15 de março de 2011

Já vivi... Já sorri...

Sou compulsivo
como as ondas no mar,
meio depressivo
como a luz do luar...

Sou feliz, ou não sou...
ando infeliz,
veja onde a vida me levou...

Já chorei de rir,
já ri pra não chorar.
O que um dia tanto quis
hoje deixa de me agradar...

Já morri, mas vivo o agora
com minha alma longe de mim...
com um mercador mundo afora...

Já vivi... Já sorri...




Guilherme Marcus Moreira

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Espelho

O homem olha para o espelho
e então o espelho o vê,
vê um homem sentado no chão
que só vê o vazio e a escuridão

E então uma luz aparece
mas é ruim o que ela transparece.
Conflitos, guerras, sofrimento e dor,
pois essa luz é feita de rancor

Essa luz veio de surpresa, sem pré-surgimento
e o espelho pergunta: de onde vem?
veio do passado, veio do presente,
veio do oculto de seu pensamento

Em um simples piscar, ele desperta
como se fosse a primeira vez, admira seu reflexo
não crendo no que vê, fica perplexo
o homem, enfim, retornou a seu universo.

por hoje é só pessoal

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Poemas

Pessoal! Estou fazendo um cursinho e depois de uma excelente aula de Literatura, tive uma idéia, irei postar aqui alguns poemas que o professor nos passa, e peço que vocês comentem o que acharam de cada poema e o que os poemas lhes disseram, sinto não colocar o nome dos escritores pois acabei esquecendo de anotar. xD

Amei em cheio
meio amei-o
meio não amei-o

-----------------------------------------------

Rio do mistério
o que seria de mim
se me levassem a sério?

-----------------------------------------------

Enfim,
nu
como vim

-----------------------------------------------

Cota Zero

Stop
A vida parou
ou foi o automóvel?

-----------------------------------------------

Por hoje é só pessoal, comentem hein!!!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Saudade

Sabe quando lhe falta uma parte?
Quando o corpo enfraquece e a mente falha?
Toda sua massa cinzenta se volta a um único pensamento?
Quando o mundo desaparece pra você num eterno momento?

Sabe quando tudo parece perdido?
Quando se sente um nada perante o mundo?
Um vazio que vive a encarar o tudo?
Sabe a dor da perda, junto da certeza de ter de volta?
Aquela sensação de terror ao ver que não correm mais as horas?

Sabe o amor, o medo?
Sabe o pavor?
Quando não se sabe mais o enredo ?

Sabe gratidão?
Quando a alegria domina o coração?
Sabe a vida? 
Que faz da saudade, em vez de um ponto,
uma vírgula?

Vamos começar denovo...

Sabe aquela imensa vontade de ter o que está tão distante?
Aquele desespero de ter ao seu lado aquilo que tanto quer?
Sabe aquele arrependimento de não ter tido uma despedida calorosa?
Aquele momento, em que se deita pra refletir, 
e daí se formam versos e até prosas?
Aquele pensamento constante de ter de volta?
Mesmo sabendo que terá novamente?
Aquela vontade de tocar, abraçar, beijar...
Aquela sensação de dor, ardente?
Aquele medo de perder de algum modo qualquer?
Quando, sabendo de tudo que existe, só uma coisa você quer?

Pois ela é muito mais que beldade... Isso sim é maldade...
Isso, caro leitor, é o que eu chamo de Saudade...


Guilherme Marcus Moreira


 

© 2011 Hermit Modern |