Não entendeu?

domingo, 28 de novembro de 2010

Eterno será...

Em novembro o céu chove...
mas seu olhar reconforta minha mente.
Meus pensamentos voltados somente a você
são os que me fazem seguir em frente.

Três meses ao seu lado
ouvindo-lhe dizer que me ama,
90 dias apaixonado
falando de amor, sem drama.

Não há medo maior que o de lhe perder,
não há tristeza pior que a de não ter você.
O mundo tenta te levar embora
mas eu te abraço forte, e o tempo não me importa.

A vida inteira esperei por alguém assim,
que me fizesse perder o rumo.
Alguém que me fizesse sorrir,
que ao meu lado, enfrentasse todo o mundo.

Amor, não pense em desistir,
pois eu também não irei pensar...
vamos continuar juntos, e sim,
eterno será... enquanto durar...

----------------------------------------------- | | -----------------------------------------------



Guilherme Marcus Moreira.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Ela

Quando me via nesse mundo
Sozinho, sem ninguém
Algo me deixou mudo
Encontrei-a sozinha também.

Uma troca de olhares
Uma conversa inocente
Longe de nossos lares
Fora de minha mente.

Então o instinto tomou posse
Envolvemo-nos sem pensar
E o que antes fosse
Agora, está para se modificar.

E desse dia em diante
Sempre que a vejo
Não vejo alguém distante
Mas sim, alguém que desejo.

Sr.Lupin

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Dias de Chuva

Enquanto lá fora o céu é nublado,
cinza da chuva que não cai...
Encanta com ousadia meus olhos
e de amor quase me faz chorar...

Enquanto aqui dentro o calor me conforta,
me faz perceber que não há para onde ir
e a vida me escapa pelos poros,
aumentando a vontade de a ter aqui...

Enquanto os segundos passam como horas
e a saudade me faz vacilante...
Aumenta minha vontade de ir embora
e a realidade se altera por um instante...

Enquanto o vento leva embora lembranças,
a brisa traz de volta os sentimentos
e nos esquecemos de quando fomos crianças,
e por consequência, de tudo o que conhecemos...




Guilherme Marcus Moreira

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Multidão... ou não.

Amor, horror, terror...
Guerra interna, frio, dor...
Vontade de gritar em meio a multidão,
desejo de você e alegria, prazer...

Olhar, pensar, ver, ouvir...
Tentar parar, respirar, persistir...
Escrever decifrando a vida,
anotar formando a poesia...

Andar, caminhar, correr...
parar, olhar e ver
em meio a multidão,
o medo de perder você.

Em casa é abraço,
mordida, suspiro, agarro...
Olhar nos olhos, respirar sussurrando...
Pegar no colo... e dizer: "Eu Te Amo"
Guilherme Marcus Moreira

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Inspiração...

Tento a encontrar em todo lugar
no dia, na noite, no céu, no mar...
me agarro ao desejo sórdido de vida
e à felicidade que encontro em seu olhar,
tocando sempre na mesma ferida
atrás de palavras pra rimar...

Métrica, coerência, precisão...
quem precisa disso tudo?
se minha fonte de inspiração
vem dela, vem do mundo...
Não preciso de nenhum tema,
posso rimar o que quiser.
Falar sobre a vida, sobre um dilema,
ter o mundo todo aos meus pés...

Numa madrugada silenciosa
vejo a caneta percorrer o papel...
riscando palavras com letras tortas
mas tão belas como as estrelas no céu...

Não falo mais de simples versos,
quero sentir na pele a poesia...
a beleza dos poemas,
sugar a essência dessa vida...
Tudo pode ser inspiração,
desde que se saiba poetizar...
a vida em si não tem uma razão,
e assim, não há razão para rimar...

Rimar é vida, rimar é sentir dor,
é desabafar, é gritar de saudades,
é revelar ao papel seus mais íntimos desejos,
é mostrar ao mundo que ainda sente medo...
Rimar é traduzir em palavras sentimentos inexplicáveis,
falar sobre coisas que ninguém mais conhece,
falar ao mundo sobre mundos inexploráveis,
e mostrar realidades que ninguém mais percebe...

Assim surge a inspiração, em palavras soltas na cabeça,
poesia é organizá-las no papel, e com ou sem rimas
fazer com que as pessoas mais que percebe-las,
possam também senti-las...

Guilherme Marcus Moreira

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

"Atenção"

Quando olho para esse mundo confuso
me sinto pequeno e frágil...
mas olho para trás, para o meu passado
e me sinto orgulhoso do pouco que fiz.

Nesse grande mundo de pessoas grandes
não me destaco nem um pouco...
pois quem se destaca são os grandes
enquanto eu sou pequeno, frágil e tolo.

Mas a atenção é um vício perigoso,
enquanto nunca chamou atenção, você nunca a deseja...
mas quando experimenta uma vez, quer sempre mais
e só nota que ela lhe desgasta quando já é tarde demais.

E por que sei tanto sobre isso, sendo que não me destaco?
Porque observo o que há em minha volta.
E eu, como todos, procuro o sucesso...
e aguardo a hora que esse vício tome conta de mim.


Por hoje é só, e obrigado pela atenção.

 Sr.Lupin

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Uma história qualquer...

Essa é a história de um garoto...
de um garoto e de uma garota.
O amor entre eles queimava feito o fogo,
muitas vezes no sol, outras vezes na garoa...

Essa é uma história triste...
talvez uma história tenebrosa,
ela gostava que ele insistisse
mas mesmo assim se fazia desgostosa...

Um dia desses saiu no jornal
um poema feito com amor,
dedicado pra tal garota.
Isso foi o que lhe causou terror.

Acontece que mais que um poema
era uma carta de despedida...
ele jurava que de tanto amar,
amá-la não mais podia.

Acontece que ficou louco...
amando demais e odiando pouco...
mas, pra mim, tanto faz...

Eu não conheço esse garoto,
e a garota tentou suicídio
podia bem encontrar outro,
mas não quis. Por quê isso?


Guilherme Marcus Moreira

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Pra dizer adeus...

Alguma dor me assombra,
meus versos não ajudam mais...
a saudade bate a porta
e vejo tudo o que deixei pra trás.

Algum terror me incomoda
me fazendo pensar em desistir.
A realidade já não importa
se você não está mais aqui.

Esse amor continua me matando,
sei que foi algo acidental...
vejo o mundo todo contra nós
fazendo-o parecer irreal.

mas não posso desistir de você,
agora não dá mais...

"é cedo ou tarde demais,
pra dizer adeus, pra dizer jamais..."




Guilherme Marcus Moreira
 

© 2011 Hermit Modern |