Não entendeu?

sexta-feira, 30 de abril de 2010

O paradoxo da escolha...

Na semana passada fui ver os lançamentos da área de filosofia da Leitura e acabei encontrando um livro que abordava um assunto simples, mas ao mesmo tempo interessante, se tratava da quantidade de escolhas que temos em nosso dia-a-dia e de como isso tem complicado a vida de uns, enquanto facilita a de outros.

Li pouco do livro, mas consegui tirar algumas idéias sobre o assunto.

Escolhas existem quando nos é possível enxergar seus respectivos caminhos.
Algumas delas não são percebidas, porém, outras são claramente percebidas,
Mas qual delas devo seguir, nem sempre é algo que faço conscientemente, nenhum ser humano toma todas suas escolhas e decisões conscientemente, muitas delas ele faz sem nem ao menos perceber. Ao mesmo tempo, uma pessoa nunca entenderá por que a outra tomou tal escolha, e mesmo que entenda, achará que tal pessoa tomou a escolha errada.

As escolhas também são limitadas, dizer que o pobre é pobre porque não se esforçou, é uma resposta banal e simples, de fato as oportunidades que as pessoas tem desde o nascimento não são iguais, tal como as escolhas que estas pessoas fazem também são distintas, talvez essa seja uma das respostas de "por que gêmeos idênticos não traçam sempre o mesmo destino".

Você pode escolher fazer uma viajem de sua cidade até outra cidade, sendo que existem vários caminhos para se chegar ao mesmo destino, pode ser que a estrada mais acessível esteja em obras e você tenha que procurar ou descobrir um novo caminho até chegar aonde deseja, seja como for, você já sabe onde quer chegar.

Agora imagine, que ao tomar outro caminho, para se desviar da estrada em obras, você acabe perdido e, consequentemente, não sabe aonde vai chegar, não sabe qual será seu destino, você se arrependeria de não ter tomado outra estrada que desse ao mesmo local, e que talvez não lhe levasse a ficar perdido.

Este é o princípio básico do paradoxo das escolhas, quando se tem muitas escolhas, nunca se sabe qual delas é a certa a se fazer. Isso torna nossas vidas mais difíceis de certo modo, mesmo que nos de mais opções e agrade a mais gostos pessoais.

A verdade é que as escolhas não podem ser entendidas, nem estudadas, são somente escolhas, escolhas essas que nós humanos teremos de fazer até o fim de nossa existência.

Por hoje é só.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

LHC

Bom, hoje resolvi postar sobre o maior acelerador de partículas já construído, o LHC (Large Hadron Collider).

Para os que não sabem, o LHC, basicamente é um tubo em forma circular e com um perímetro de 27 quilômetros, que se localiza a 100 metros ao menos debaixo da terra na fronteira da França com a Suíça, onde os prótons estão sendo acelerados no anel de colisão que tem cerca de 8,6 km de diâmetro.

Colidindo prótons, os cientistas do CERN, "Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire" (Conselho Europeu para Investigação Nuclear), empresa responsável pelo LHC, esperam descobrir partículas elementares como o Bóson de Higss, que seria a menor partícula, da qual todas as outras partículas e consequentemente o átomo e toda a forma de matéria seria composta, o que lhe fez merecedora do título de "Partícula de Deus".
Esperam também repetir em tamanho reduzido, o fenômeno que teria dado origem ao universo, o Big Bang, colidindo partículas a velocidades próximas à da luz.

O LHC entrou em funcionamento no dia 10 de Setembro de 2008, porém, em 19 de setembro do mesmo ano ocorreu um incidente no setor 3-4 do LHC que resultou em grande vazamento de hélio no túnel. Segundo uma nota de imprensa publicada pelo CERN no dia seguinte, foram feitas investigações preliminares que apontaram como provável causa do problema um defeito na ligação elétrica entre dois ímãs, o que causou a falha mecânica.

A Organização informou na nota que o setor teria de ser objeto de reparos, o que interromperia o funcionamento do LHC por, no mínimo, dois meses.
Os reparos demorariam apenas alguns dias, mas o setor onde ocorreu o incidente deve ser aquecido para tornar possível a manutenção, consequentemente levando mais tempo.

O LHC foi religado no dia 20 de Novembro de 2009, mas a primeira colisão de Prótons só ocorreu em 30 de Março de 2010.

Muitos conspiracistas e afins saíram postando em blogs e fóruns que ao colidir partículas em velocidades tão altas, o LHC iria criar pequenos buracos negros, que começariam a sugar matéria até se tornarem gigantes e devastar todo o planeta. Mas ficou provado porém, que estavam errados.

Com os avanços das colisões de partículas, aumenta a esperança de que o LHC nos ajude a desvendar os mistérios mais antigos sobre nossa origem e composição, nos trazendo conhecimento e auto-conhecimento.

Por hoje é só.

Ps. Alguns trechos foram retirados da Wikipédia.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Buscando...

Estive pensando muito nos útimos dias, a respeito de certos acontecimentos. Minha cabeça sempre ferve em confusões de palavras. Meus textos se perdem nas viagens que faço, nas horas vagas (e nas não tão vagas) em casa, dentro do ônibus, quando ando pela rua, enfim ...

Hoje em especial li uma frase interessante:
" O que importa afinal? Viver ou saber que se está vivendo? "
E nisso, milhões de pensamentos invadiram a minha mente.
"O que ME importa?" e "O que TE importa?"

Na verdade estava cansado dessa monotonia de estar sempre triste, buscando por algo que há muito já não possuía.

E pesquisando um pouco, encontrei um trecho de Charles Chaplin que me fez pensar mais sobre o assunto:

" Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento,
quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo o que não fosse saudável, pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse pra baixo, de início minha razão chamou essa atitude de egoísmo, hoje sei que se chama - Amor próprio. "

É certo que nas palavras é tudo bem mais bonito e fácil do que na vida real, mas, por que não tentar ? Por que não 'nascer' novamente? Passamos tanto tempo buscando a felicidade em outras pessoas que acabamos nos esquecendo que somente nós somos responsáveis por nossa felicidade.

Cada um de nós é responsável pela sua respectiva felicidade. A felicidade não está em sua namorada, ou em um show de sua banda predileta, ou em "Deus".
A felicidade está em você, e ser feliz depende unica e exclusivamente de você.

Bom, por hoje é só.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Filosofia Ontológica.

Bom, como essa é minha primeira postagem, não tenho muita coisa pra falar, mostrar e colocar em debate. Sendo assim resolvi falar um pouco sobre essa área da filosofia que me impressionou bastante e da forma como eu a conheci.

Filosofia Ontológica é a filosofia que trata do ser enquanto "ser", no geral se trata de muitas questões metafísicas e tenta no fundo entender o significado e o sentido de "ser", acredita-se ter surgido na Grécia antiga e envolve grandes nomes da filosofia, como Sócrates e Platão por exemplo .

Um dia desses, uma sexta feira se não me engano, eu e mais dois amigos fomos dar uma volta, como não havia nada a se fazer em casa, no entanto, como também não havia nada a se fazer na rua, acabamos por entrar em uma livraria/café da qual me esqueci o nome.
Olhando a seção de filosofia dessa livraria encontrei um livro interessante chamado "Ser e Tempo" do filósofo alemão Martin Heidegger.

Neste livro, o ser como questão define um ser particular, o ser aí, o homem, que é aquele que pode existir sabendo, em qualquer momento e simultaneamente, que há de deixar de existir, que é um ser para a morte.

Para o homem, aceitar esta situação é sinal de autenticidade. Além disso, apresentar a questão da autenticidade quer dizer apresentar as diferentes maneiras de ser: facticidade, abandono, historicidade, etc...

Enfim, acredito que a Ontologia seja uma das áreas mais complexas e interessantes da filosofia, e aconselho a leitura do livro aqui citado para melhor entendimento do assunto em questão.



Bom, é uma postagem pobre mas, por hora é só isso.
 

© 2011 Hermit Modern |